Cine-Teatro Louletano

encontros do DeVIR | IKOQWE

23 de fevereiro de 2019

IKOQWE (Angola/Portugal)

 

IKOQWE é o concerto de abertura deste festival que quer continuar a pensar o nosso território, aliando o social ao cultural, o ecológico, o científico e político ao artístico, fazendo pontes com outras realidades geograficamente distantes, recorrendo ao trabalho de investigadores e cientistas e a criações de escritores, de artistas das artes visuais e de criadores das artes do espetáculo. Pensar o nosso território é também refletir sobre as obras “dos nossos”, homenagear os que se distinguiram no seu tempo e que ainda hoje são recordados pela pertinência e atualidade do seu legado.

 

Na sequência das edições anteriores, onde nos focámos em questões prementes e atuais, propomo-nos prosseguir chamando a este festival um tema que atravessa os tempos – a denúncia –, o qual foi tratado recorrentemente na obra de um dos nossos mais distintos poetas populares, António Aleixo. Falar dele e do seu legado é refletir sobre nós, sobre a nossa identidade.

 

Em 2019 completam-se 120 do nascimento do poeta e esse facto é razão mais do que suficiente para lembrarmos o homem e festejarmos o que nos deixou, à luz dos nossos dias e do que neles acontece. Como a ele, também a nós não nos chega entreter e animar. A nossa missão é cada vez mais fazer uso da Arte e da Cultura como instrumentos de denúncia, de mudança e de entendimento.

 

38 reflexões 10 espetáculos 2 performances 2 workshops 3 exposições 2 colóquios 1 edição

www.encontrosdodevir.com

 

O concerto de abertura do festival traz ao Algarve o projeto IKOQWE, que junta Luaty Beirão aka Ikonoklasta e Pedro Coquenão aka Batida (Angola/Portugal).

 

Para quem gosta de traduzir tudo em equações simples: Rapper Ikonoklasta tornado icónico e ativista popular como Luaty Beirão + Pedro Coquenão, retornado que nunca cá tinha estado, eventualmente reconhecido artisticamente como Batida = IKOQWE

Para o simplista: mais dois a fazerem rimas e batidas.

Para o geográfico: entre Angola, Portugal e o resto do planeta.

Para o jornalista sem vocação: copy/paste de links abaixo.

Ikonoklasta  Batida

Para os partidos: sem filiações. Vivam as associações, a iniciativa civil e o pensamento crítico.

Para as redes e os arrastões media os tópicos são: Iniquidades, Identidades, Migrações, Contas mal feitas, Neo-Colonialismo, Cumplicidades.

Amor e a Utopia, como o futuro.

Sobre o género: cada um com o seu próprio.

Para todos os restantes: cócegas no cérebro, libertação do baixo ventre, punho cerrado, coração aberto e quente.

Disco gravado, em fase de mistura.

Show encenado com a direção de arte do P. Coquenão.

 

Organização: DeVIR/CAPa / Estrutura financiada por Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes / Iniciativa co-financiada por 365 Algarve/Turismo de Portugal, Câmara Municipal de Faro, Câmara Municipal de Lagos, Câmara Municipal de Loulé / Parceiros media: jornal “barlavento”, RUA FM

 

Duração: 60 minutos

Org.: Câmara Municipal de Loulé/Cine-Teatro Louletano

 

www.facebook.com/cineteatrolouletano

  • Sala de espetáculos
  • 21:30
  • 5 €
  • M/10