Cine-Teatro Louletano

IV Festival Internacional de Piano do Algarve

16 de fevereiro de 2020

Pedro Burmester convida Miguel Borges Coelho e Hugo Peres para um concerto único do IV Festival Internacional de Piano do Algarve. Serão apresentados os concertos de J. S. Bach para 1, 2 e 3 Pianos, com a participação da Orquestra Clássica do Politécnico do Porto.

 

Pedro Burmester nasceu no Porto. Foi durante dez anos aluno de Helena Costa, tendo terminado o Curso Superior de Piano do Conservatório do Porto com 20 valores em 1981. Posteriormente, deslocou-se aos Estados Unidos onde trabalhou entre 1983 e 1987 com Sequeira Costa, Leon Fleisher e Dmitry Paperno. Paralelamente, frequentou diversas masterclasses com pianistas como Karl Engel, Vladimir Ashkenazi, T. Nocolaieva e E. Leonskaja.

Ainda muito novo, foi premiado em diversos concursos, destacando-se o prémio Moreira de Sá, o 2.º prémio Vianna da Motta e o prémio especial do júri no Concurso Van Cliburn nos Estados Unidos.

Iniciou a sua atividade concertística aos 10 anos de idade e, desde então, já realizou mais de 1000 concertos a solo, com orquestra e em diversas formações de música de câmara, em Portugal e no estrangeiro. Participou em todos os festivais de música portugueses. No estrangeiro são de realçar apresentações em La Roque d’ Anthéron, na Salle Gaveau, no Festival de Flanders, na Frick Collection e 92nd Y em Nova Iorque, na Filarmonia de Colónia, na Gewandhaus de Leipzig, na casa Beethoven em Bona e no Concertgebouw em Amesterdão. São de destacar colaborações com os maestros Manuel Ivo Cruz, Miguel Graça Moura, Álvaro Cassuto, Omri Hadari, Gabriel Chmura, Muhai Tang, Lothar Zagrosek, Michael Zilm, Frans Brüggen, Georg Solti, Leopold Hager, Baldur Brӧnnimann e Peter Rundel.

Dedicou-se também à música de câmara. Mantém há alguns anos um duo com o pianista Mário Laginha e atuou com os violinistas Gerardo Ribeiro e Thomas Zehetmair, com os violoncelistas Anner Bylsma e Paulo Gaio Lima, e com o clarinetista António Saiote. Formou um grupo de pianos e percussões que tem atuado com grande sucesso em diversos festivais e concertos em Portugal.

Atuou em França, na Alemanha, Bélgica, Holanda, no Brasil, Estados Unidos, África do Sul, Canadá e Austrália, onde realizou uma tournée com a prestigiada Australian Chamber Orchestra.

Já gravou uma dezena de CDs. A sua discografia inclui três CD a solo com obras de Bach, Schumann e Schubert, um em duo com Mário Laginha e três gravações com a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Em 1998 foi editado um CD a solo com obras de Chopin. Em 1999 gravou as dez sonatas para violino e piano de Beethoven com o violinista Gerardo Ribeiro.

Em 2007, juntamente com Bernardo Sassetti e Mário Laginha editou o CD e DVD “3 Pianos”, gravado ao vivo no Centro Cultural de Belém. Em 2010 grava e edita a Sonata em Lá Maior, D959 de Franz Schubert e os Estudos Sinfónicos op. 13 de Robert Schumann. Em dezembro de 2013 dá, pela primeira vez, um concerto na Casa da Música, recital que foi gravado ao vivo e editado em janeiro de 2015. Nesse mesmo ano, no mesmo palco, abraça o desafio de interpretar os cinco concertos para piano e orquestra de L. W. Beethoven com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. No ano seguinte retoma a colaboração com o pianista Mário Laginha, com quem tem gravado um disco, “Duetos”, 1994.

Foi Diretor Artístico e de Educação na Casa da Música, projeto que ajudou a criar e a implementar.

 

Miguel Borges Coelho é natural do Porto, iniciou o estudo do piano com Amélia Vilar, prosseguindo a sua formação no Conservatório daquela cidade sob a orientação de Isabel Rocha.

Como bolseiro da Fundação Gulbenkian estudou entre  1991 e 1993 com Vitalis Margulis na Hochschule fur Musik Freiburg e, entre 1994 e 1997, na Escuela Superior de Música Reina Sofia com Dmitri Bashkirov e Galina Egyazarova.

Foi premiado em diversos concursos de piano, entre os quais se destraca o XIV Concurso Internacional de Música da Cidade do Porto (1997), no qual obteve o 2.º Prémio e o Prémio para a interpretação da obra contemporânea. Em 1998 o Ministério da Cultura atribuiu-lhe o Prémio Revelação “Ribeiro da Fonte”.

Atuou em Portugal, Espanha, França, Suíça, República Checa, Brasil e Colômbia, nomeadamente no CCB, Casa da Música, Gulbenkian, São Carlos, Euskalduna (Bilbau), Kursaal (San Sebastián), Baluarte (Pamplona), Rudolfinum (Praga) e em festivais como os de Sintra, Póvoa do Varzim, “Dias da Música”, “Terras Sem Sombra”, “Folles Journées” (Nantes), Festival de Quatuors à Cordes en Pays de Fállense, “Festival Mozart” (Coruña), “Quincena Musical“ (San Sebastián) e Musika/Música (Bilbao).

Foi solista com as seguintes orquestras: Orquestra do Algarve, Orquestra APROARTE, Orquestra de Câmara de Praga, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra da EPMVC, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Sinfónica de Euskadi, Orquestra Sinfónica Portuguesa e Sinfonieta de Lisboa.

Atuou em recitais de música de câmara com músicos como Afonso Fesch, Michal Kanka, Paulo Gaio Lima, Asier Polo, Filipe Quaresma, Gerardo Ribeiro, Pedro Ribeiro, António Saiote, Álvaro Teixeira Lopes, Marta Zabaleta, Quarteto Capela, Quarteto de Matosinhos, Quarteto Prazak e Quarteto Talich. Fez estreias mundiais de obras de Lopes Graça e J.P. Oliveira. Gravou um CD duplo com obras de Jorge Peixinho (Numérica). Para a editora Praga Digitals (Harmonia Mundi), em colaboração com o violoncelista Michal Kanka ou com o Quarteto Prazak, gravou quatro CDs: as sonatas para violoncelo e piano de Weinberg, obras para piano solo e violoncelo e piano de E. Bloch, a Sonata para Violoncelo e Piano op. 6 e o Quarteto com Piano Op. 13 de Richard Strauss, e a obra integral para violoncelo e piano de A. Tcherepnin. O CD dedicado a Weinberg foi Choc Disc para a revista “Le Monde de la Musique” e, tal como os CDs dedicados a Bloch e Strauss, Diapasón 5 para a revista Diapasón.

Concluiu em 2016 o doutoramento em Música-musicologia na Universidade de Évora. É professor de piano na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), no Porto.

 

Hugo Peres nasceu no Porto em 1997. Iniciou o estudo do piano em 2003 na Escola de Música Óscar da Silva com a Professora Irene Fernandes. Em 2004 ingressou no Conservatório de Música do Porto, na classe da Professora Maria José Souza Guedes, com quem terminou, em 2015, o 8.º grau de piano. No mesmo ano passou a integrar a classe do Professor Miguel Borges Coelho na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, tendo concluído a licenciatura em piano em 2019. Ao longo da sua formação académica teve oportunidade de trabalhar com pianistas como Elena Filonova, Constantin Sandu, Alexander Tutunov, Madalena Soveral, Luísa Tender, Paulo Oliveira e Pedro Burmester. Foi premiado em vários concursos, destacando-se: 1.º Prémio do Concurso Interno do Conservatório de Música do Porto (Níveis B e A), 1.º Prémio do 8.º Concurso Ibérico do Alto Minho (Classe C), 2.º Prémio e Prémio Vítor Macedo Pinto do Concurso Internacional de Música Cidade de Almada (Nível V), 1.º Prémio e Prémio Marília Rocha do Concurso Marília Rocha (Nível D), Prémio Casa da Música Edição 2015. Tem-se apresentado regularmente a solo e em diversas formações de música de câmara, nomeadamente na Casa das Artes do Porto, na Casa da Música, no Ateneu do Porto, no Auditório da Póvoa de Varzim.

Atualmente frequenta o Mestrado em Interpretação Artística na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, com o professor Miguel Borges Coelho.

 

// Duração: 60 minutos (aprox.)

Direção artística (do festival): Maestro Armando Mota / Produção: Associação Artedosul / Projeto financiado por 365 Algarve/Turismo de Portugal / Apoio: Câmara Municipal de Loulé / Cineteatro Louletano 

 

www.facebook.com/cineteatrolouletano

  • Sala de espetáculos
  • 17:00
  • 12 € / 10 € para maiores de 65 e menores de 30 anos [Cartão de Amigo aplicável]
  • M/6