Cine-Teatro Louletano

Diz-me, António | Nova criação da Rede Azul

28 de fevereiro de 2020

Nova criação da REDE AZUL – Rede de Teatros do Algarve

Com Armando Correia, Carolina Cantinho e Pedro Pinto

 

“Diz-me, António” é um projeto que une a dança, a música e o spoken word.

O poema, o corpo, a voz, a música, o público, um público que será voz, um corpo que será poema, um poema feito região. “Diz-me, António” é um espetáculo que se inspira no universo de António Aleixo, num tributo à sua obra e aos 120 anos do seu nascimento.

O movimento, a música e a palavra em busca de uma poética da performance, em que três criadores/intérpretes se reúnem a refletir sobre o Poeta Algarvio.

 

// SOBRE O PROCESSO CRIATIVO

 

/Vejo a arte definida/

Lançaram a este coletivo oriundo de diferentes áreas de intervenção artística (dança, música, palavra) o desafio de homenagear o poeta António Aleixo através de um espetáculo que junta a dança contemporânea, a música e a palavra.

 

/na forma de descrever/

A pesquisa e recolha realizadas permitiram conhecer as duas facetas que fundem o Aleixo, Poeta e o homem, António, através da atualidade da sua poesia – ...Isto é hoje o que foi ontem/E o que há-de ser amanhã.

 

A imagem imediata de que todos somos Antónios, na linguagem poética de Aleixo, levou à interpelação: “Diz-me, António”.

 

/o bem ou o mal/

A filosofia da linguagem, na pobreza do homem; a exatidão da quadra, na inquietação da mensagem; o passado do poeta, que respira presente – indicaram o caminho do processo criativo...

 

/que a vida

nos faz gozar ou sofrer./

Perguntámos. Respondemos. Sentimos medos. Motivámo-nos. Olhámos para a frente... por vezes para trás.... Encontrámos. Perdemos. E procurámos que o corpo, a voz e a música dissessem o que sente o coração.

Entretanto, “Diz-me, António”.

 

Armando Correia

Declara-se amante da estética e da força da palavra. Com trajeto recente na área artística, dinamiza eventos ligados à Poesia e integra os “Kilavra” (leitura de poesia e música eletrónica).

Participou na dinamização do projeto cultural Palácio do Tenente e é coorganizador/criador do conceito poético Calceteiro de Letras Festival e do Festival Spoken Word de Faro (Gimnásio Clube de Faro).

Colabora como ator em performances teatrais e curtas-metragens.

De resto... não faz mais que tentar sonhar os próprios sonhos. 

 

Carolina Cantinho

Concluiu, em 2012, o Mestrado em Criação Coreográfica Contemporânea na Escola Superior de Dança de Lisboa, trabalhando com Clara Andermatt, Francisco Camacho, Paulo Ribeiro, Rui Horta e Rui Lopes Graça. Desenvolve o seu trabalho como coreógrafa independente desde 2012 e é bailarina, professora e coreógrafa na Companhia de Dança do Algarve desde a sua fundação, tendo recebido prémios de interpretação e coreografia em concursos internacionais. Ao longo do seu percurso, fez formação e interpretou peças de Cesc Gelabert (Espanha), Daniel Cardoso, Gonçalo Lobato, Gustavo Oliveira, Isabelle Chaffaud & Jérôme Meyer, João de Brito, Jonas Lopes & Lander Patrick, Marta Lobato, Miguel Moreira, Patrícia Henriques, Paula Pinto e São Castro (Portugal).

 

Pedro Pinto

Reflect para a música, fundou a editora algarvia Kimahera em 2005.

Estreou-se nas edições em 2008 com o álbum “Último acto” e em 2013 lançou o homónimo “Reflect”.

A convite da BBC, representou Portugal em 2014 ao som de “Mar e Maré”.

Publicou o livro póstumo De mim para mim com textos de Carolina Tendon e editou um disco em parceria com o escritor e diseur Napoleão Mira.

Em 2017 lançou o single “Eu fico bem” e viu o seu “Barco de Papel” ser distinguido com o Prémio Melhor Música Algarve 2018 (Choque Frontal – Alvor FM).

A solo ou em parceria, já pisou alguns dos maiores palcos do país.

A sua música vive de emoção que, não cabendo no Pedro, transborda em músicas que dá a conhecer ao mundo desde 2003.

 

 

Cocriação e interpretação: Armando Correia, Carolina Cantinho e Pedro Pinto / Apoio à criação: Gil Silva e Paulo Pires / Música original: Pedro Pinto / Desenho de luz: Jorge Pereira / Cenário e figurinos: Armando Correia, Carolina Cantinho e Pedro Pinto / Voz-off: Teresa Aleixo / Animação de vídeo: Tomás Correia / Fotografia: Filipe Farinha e Mariana VS / Ilustração: Dina Dias / Produção: AZul – Rede de Teatros do Algarve / Coprodução: Arquente – Associação Cultural / Produção Executiva: Marisa Madeira / Apoio a residência artística: Companhia de Dança do Algarve, Gimnásio Clube de Faro, Kimahera e Teatro das Figuras

 

Projeto cofinanciado pelo Programa 365 Algarve/Turismo de Portugal / Apoio: Direção Regional de Cultura do Algarve / Parceria na área turística: Eating Algarve Food Tours / Agradecimentos: Café Calcinha, Vítor Aleixo, Valério Bexiga, Anabela Machado, Jacinta Oliveira e alunos do 3.º e 4.º anos da Escola de S. Luís (Faro)

 

// Duração: 50 minutos

Org.: Câmara Municipal de Loulé / Cineteatro Louletano

 

www.facebook.com/cineteatrolouletano

  • Sala de espetáculos [palco] (lotação limitada)
  • 21:30
  • 5 € (sem descontos aplicáveis)