Cine-Teatro Louletano

Banda Filarmónica Artistas de Minerva com Virgem Suta, Ciclo: O Longe é Aqui (VII)

Ciclo musical O Longe é Aqui (VII)

Local: Cerca do Convento (Loulé)

Depois do encontro com Jorge Palma em maio de 2016, que marcou o arranque do ciclo musical O Longe é Aqui, a Banda Filarmónica Artistas de Minerva volta a participar neste desafio, desta vez num diálogo inédito com os inspiradores Virgem Suta. A reconhecida banda junta-se assim à Banda Filarmónica dirigida artisticamente por José Branco para um encontro musical irrepetível e surpreendente, em que esta reinventa o repertório do projeto liderado por Jorge Benvinda e Nuno Figueiredo.

A Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva, que em 2016 celebrou o seu 140.º aniversário, foi fundada em 21 de maio de 1876, então com 17 músicos, passando a ser conhecida por Música Nova. Conheceu um período de particular apogeu entre os últimos anos de Oitocentos e o início do século XX. Mantendo uma vitalidade cultural sem interrupções até aos nossos dias, a banda é composta atualmente por 44 músicos de ambos os sexos, com idades que vão dos 10 aos 74 anos. Com uma escola de música integrada na estrutura, aí são ministradas gratuitamente aulas nas disciplinas de Instrumentos de Sopro, Percussão, Formação Musical e Classe de Conjunto. A Banda Filarmónica é ainda uma presença assídua em festivais nacionais e em Espanha, organizando também masterclasses e vários certames culturais em que participam agrupamentos de música desde orquestras sinfónicas e bandas militares até outros projetos musicais. A Banda Artistas de Minerva é geminada com a Banda de la Escuela de Música de Punta Umbria (Huelva).

A história dos Virgem Suta não é a história normal das bandas de hoje em dia. Não foram descobertos através do Myspace, não fizeram uso das auto-estradas da informação para conquistar os milhares de fãs com que poderíamos abrilhantar esta nota. Valeram-se de duas guitarras, da voz e da quase ousadia de uma mão cheia de canções e, sem exageros líricos, as suas auto-estradas foram outras. Perderam a conta às vezes que fizeram o País de sul a norte e de norte a sul. Os Virgem Suta transpiram portugalidade e assumem-no. Mas são tão contemporâneos que a raiz portuguesa só lá está porque não têm outro remédio. Não tenhamos dúvidas de que, se fossem espanhóis, tocariam castanholas. Assim, tocam adufe e cavaquinho porque é isso que lhes é natural. A isto aliam uma ironia que aparece a espaços, insólita, não de riso fácil, mas daquele que só é esboçado depois de se ter desconstruído a mensagem.

Duração: 90 minutos

Org.: Câmara Municipal de Loulé / Cine-Teatro Louletano

www.facebook.com/cineteatrolouletano



  • Cerca do Convento (Loulé)
  • 21:30
  • 10 € / 8 € para maiores de 65 e menores de 30 anos (Cartão de Amigo aplicável)
  • M/06