Cine-Teatro Louletano

[ADIADO] Engolir Sapos, pela Amarelo Silvestre

15 de janeiro de 2021

“Engolir Sapos” é uma reflexão artística, em forma de espectáculo de teatro para famílias, sobre preconceitos e sapos de loiça.

 

Em Portugal, existem entre 40 e 60 mil ciganos, uma minoria entre as maiorias.

 

Em Portugal, existem entre centenas e milhares de sapos de loiça em estabelecimentos comerciais, uma minoria entre as maiorias dos produtos expostos. Os sapos existem para decorar. E para afastar. Ciganos. 

 

Se um sapo incomoda homens e mulheres de carne e osso, um sapo incomoda-nos a todos.

 

Em palco estarão Pai e Filha. E sapos. 

 

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

 

Encenação: Rafaela Santos 

Dramaturgia: Fernando Giestas 

Interpretação: Amélia Giestas e Ricardo Vaz Trindade 

Música: Ricardo Baptista

Desenho de Luz: Jorge Ribeiro 

Cenografia e Figurinos: Henrique Ralheta 

Apoio ao Movimento: Leonor Barata

Apoio à Dramaturgia: Jorge Palinhos

Assistente de Cenografia: Carolina Reis 

Registo Vídeo: Eva Ângelo 

Apoio ao Registo Videográfico: Maria Ana Krupenski

Registo Fotográfico: José Alfredo

Imagem do Projecto: Rosário Pinheiro  

Operação de Som: Guilherme Silva

Produção Executiva: Liliana Rodrigues

Gestão Administrativa: Susana Loio

 

Criação: Amarelo Silvestre

Co-produção: Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto

Residências Artísticas: Teatro Viriato, As Casas do Visconde, Centro de Arte de Ovar, Citemor, Projecto 23 Milhas e ZDB

Parcerias: Olho Vivo/Viseu e As Casas do Visconde

Apoio República Portuguesa: Cultura/Direção-Geral das Artes

Outros Apoios: Patinter, Borgstena e Agrupamento de Escolas, Bombeiros Voluntários, Centro Social e Paroquial e Junta de Freguesia de Canas de Senhorim

 

//Duração 50 min. aprox.

 

Org.: Amarelo Silvestre

Apoio: Câmara Municipal de Loulé

 

 

  • Cineteatro Louletano
  • 19h00
  • €8,00 / €6,00 (para maiores de 65 e menores de 30 anos). Cartão de Amigo aplicável.
  • Público em geral